terça-feira, 5 de novembro de 2013

Por que as Dietas Falham?

O que significa Dieta para você? Piada, arrependimento, tristeza, ansiedade? Aposto que você tem muita história para contar. Pra mim dieta sempre foi sinônimo de frustração e tristeza, pois quando ouvia esta palavra lembrava da minha situação ( estava virando um super obeso ). Quando eu fazia uma "Dieta" significava pra mim, passar fome, restrição, castigo, privação da satisfação e da alegria. E no geral é assim que acabava sendo. Nós começamos uma dieta, terminamos uma dieta, voltamos pra dieta e assim por diante. No final engordamos mais do que quando começamos a dieta e aí recomeça todo o ciclo. Até o momento que você se acomoda dando as seguintes desculpas para sí mesmo: "Meu metabolismo é lento", "Tenho tendência a engordar", "Minha família toda é obesa" e por aí vai.

Falando sério agora, acho que a forma como trabalhamos na relação de amor e ódio com a comida (e às vezes nós com mesmos). Dizemos a nós mesmos erroneamente que a comida nos faz engordar, mas a atração em direção a ela nunca foi mais forte e carregada de bagagem psicológica. O alimento não deve ser a razão da nossa existência, mas também não deve ser o inimigo. De um ponto de vista ancestral, todo o quadro é insano. Dieta no sentido moderno distorce a nossa relação com a comida como sustento básico.

Aliás, pesquisas mostram que também podem distorcer nossa fisiologia. Uma equipe da Universidade da Pensilvânia descobriu que uma dieta restritiva de curto prazo, não só tinham níveis mais altos do hormônio do estresse, corticosterona mas também mostrou mudanças epigenéticas duradouras nos genes influentes para regulação do estresse.

Da mesma forma , a dieta também muda a nossa atividade cerebral. Um estudo do Instituto de Pesquisa de Oregon demonstrou que a privação calórica aumenta o " valor da recompensa " dos alimentos , comprovado pela atividade em regiões importantes do cérebro dos sujeitos na presença de imagens de alimentos e apresentação dos alimentos em si .

Peguei um artigo interessante no The New York Times há algumas semanas atrás. O Artigo tinha uma tese interessante de que a "Dieta nos faz mais burros". O artigo cita estudos que demonstram  que a " tensão mental " e o sentimento de provação em nossos cérebros aumentam nossa probabilidade de falhas em testes lógicos. Em suma, o artigo cita também que pessoas que estão "em Dieta" são mais distraídas que as que não estão. Será que isso realmente surpreende alguém?

As razões por trás dessa tensão cognitiva são múltiplas. Pessoas "em Dieta" são distraídas - pelos cálculos intermináveis de calorias consumidas a cada refeição, sentimento de arrependimento a cada alimento comido, horas numa esteira de academia feito um rato de laboratório, isso tudo perturba suas mentes o dia inteiro. É cansativo apenas para ler.

Quando vamos fazer uma dieta, nós deliberadamente escolhemos pela escassez. Por quê? No final, a privação é uma opção auto-destrutiva. Será sempre uma opção auto-destrutiva. Claro, pode ser que temporariamente funcione. O fato é que você pode privar e esgotar seu caminho para uma meta de peso mais longa e duradoura. A melhor opção é sempre o investimento ao invés de privação. Um estilo de vida melhor, mais saudável, investir em si mesmo. Não  um jogo mental de matemática ou livro de regras complicadas. É um estilo de vida que você cria ao longo do tempo.

Relacionado com este conceito do artigo do Times, outra pesquisa sugere que a complexidade de uma Dieta determina a capacidade de você aderi-la ao  longo do tempo. Quanto mais complexas eram as regras de uma Dieta, menos participantes aderiram. Em suma, se a dieta for complicada, não funciona.

Por que mais simples que a dieta Pláleo? Elimine todos o açúcar, grão e principalmente o trigo da sua Dieta. Coma o quanto quiser  e qundo tiver fome comida de verdade. E Seja feliz.


Principal Referência
Why Diets Fail (Mark Sisson)